O papel do sistema endocanabinoide nos tecidos reprodutores femininos - CBfarma

O papel do sistema endocanabinoide nos tecidos reprodutores femininos

Tem havido um interesse crescente no papel dos endocanabinóides como moduladores críticos dos processos reprodutivos femininos. Os endocanabinóides são ligantes naturais de receptores ativados por proliferadores de canabinóides, vanilóides e peroxissomos. Juntamente com seus receptores, enzimas e alvos de sinalização a jusante, eles formam o sistema endocanabinóide (ECS). Embora o ECS seja conhecido por modular a dor e o neurodesenvolvimento, também é conhecido por afetar o sistema reprodutivo feminino, onde afeta a foliculogênese, a maturação do oócito e o secreção endócrina ovariana. Além disso, o ECS afeta o transporte de embriões ovidutais, implantação, decidualização uterina e placentação. Existe uma interação complexa entre o ECS e o eixo hipotálamo-hipófise-ovariano, e um intrincado crosstalk entre o ECS e a produção e secreção de hormônios esteróides. Canabinóides exógenos, derivados de plantas como Cannabis sativa, também são ligantes para receptores de canabinóides. Estes demonstraram ter resultados clínicos relacionados à desregulação do ECS, incluindo esclerose múltipla, doença de Alzheimer e esclerose lateral amiotrófica, juntamente com efeitos adversos na reprodução feminina. O objetivo desta revisão é descrever e discutir dados de estudos em humanos, animais e in vitro que apoiam o importante papel do sistema endocanabinóide nos tecidos e processos reprodutivos femininos. Em particular, discutiremos alguns dos mecanismos pelos quais a sinalização endocanabinóide pode afetar a função ovariana em estados fisiológicos e fisiopatológicos.

Faça o upload da sua documentação

Indique o seu médico

Faça o upload da sua documentação