Impacto do tratamento com cannabis na qualidade de vida, peso e atividade clínica da doença em pacientes com doença inflamatória intestinal: um estudo piloto prospectivo - CBfarma

Impacto do tratamento com cannabis na qualidade de vida, peso e atividade clínica da doença em pacientes com doença inflamatória intestinal: um estudo piloto prospectivo

Pacientes com doença inflamatória intestinal (DII) sofrem de morbidade significativa e qualidade de vida diminuída. A planta cannabis é benéfica em várias doenças gastrointestinais, estimulando o apetite e causando ganho de peso. Nossos objetivos foram avaliar se o tratamento com maconha inalada melhora a qualidade de vida, atividade da doença e promove ganho de peso nesses pacientes. Foram incluídos pacientes com DII de longa duração que receberam prescrição de tratamento com cannabis. Dois questionários de qualidade de vida e índices de atividade da doença foram realizados, e o peso corporal do paciente foi medido antes do início da cannabis e após 3 meses de tratamento. Treze pacientes foram incluídos. Após 3 meses de tratamento, os pacientes relataram melhora na percepção geral de saúde (p = 0,001), funcionamento social (p = 0,0002), capacidade de trabalho (p = 0,0005), dor física (p = 0,004) e depressão (p = 0,007). . Uma escala esquemática de percepção de saúde mostrou uma pontuação melhorada de 4,1 ± 1,43 para 7 ± 1,42 (p = 0,0002). Os pacientes tiveram um ganho de peso de 4,3 ± 2 kg durante o tratamento (faixa 2–8; p = 0,0002) e um aumento médio no IMC de 1,4 ± 0,61 (faixa 0,8–2,7; p = 0,002). O índice médio de Harvey-Bradshaw foi reduzido de 11,36 ± 3,17 para 5,72 ± 2,68 (p = 0,001). O tratamento de três meses com cannabis inalado melhora as medidas de qualidade de vida, o índice de atividade da doença e causa ganho de peso e aumento do IMC em pacientes com DII de longa data.

Faça o upload da sua documentação

Indique o seu médico

Faça o upload da sua documentação