Interação medicamentosa entre o clobazam e o canabidiol em crianças com epilepsia refratária. - CBfarma

Interação medicamentosa entre o clobazam e o canabidiol em crianças com epilepsia refratária.

Em um ensaio clínico de novo medicamento investigacional de uso expandido (IND), o canabidiol (CBD) está sendo estudado como um possível tratamento adjuvante para epilepsia refratária em crianças. Dos 25 participantes do estudo, 13 estavam sendo tratados com clobazam (CLB). Como CLB e CBD são metabolizados na via do citocromo P450 (CYP), previmos uma interação medicamentosa, que avaliamos neste artigo. Treze participantes com epilepsia refratária, em tratamento concomitante com CLB e CBD sob o IND 119876, foram incluídos neste estudo. Informações demográficas foram coletadas para cada participante, incluindo idade, sexo e etiologia das crises epilépticas, assim como outros medicamentos antiepilépticos (AEDs) em uso. Os níveis de CLB, N-desmetilclobazam (norclobazam; nCLB) e CBD foram medidos ao longo do tratamento com CBD. As doses de CLB foram registradas no início e nas semanas 4 e 8 do tratamento com CBD. Efeitos colaterais foram monitorados. Relatamos níveis elevados de CLB e nCLB nesses participantes. O aumento médio (± desvio padrão [SD]) nos níveis de CLB foi de 60 ± 80% (intervalo de confiança de 95% [−2–91%] em 4 semanas); o aumento médio nos níveis de nCLB foi de 500 ± 300% (intervalo de confiança de 95% [+90–610%] em 4 semanas). Nove dos 13 participantes tiveram uma redução >50% nas crises, correspondendo a uma taxa de resposta de 70%. Os aumentos nos níveis de CLB e nCLB e as diminuições na frequência das crises ocorreram mesmo com a redução das doses de CLB ao longo do tratamento com CBD em 10 (77%) dos 13 participantes. Efeitos colaterais foram relatados em 10 (77%) dos 13 participantes, mas foram aliviados com a redução da dose de CLB. O monitoramento dos níveis de CLB e nCLB é necessário para o cuidado clínico de pacientes que recebem tratamento concomitante com CLB e CBD. No entanto, o CBD é um tratamento seguro e eficaz para epilepsia refratária em pacientes que recebem tratamento com CLB.

Faça o upload da sua documentação

Indique o seu médico

Faça o upload da sua documentação