Ativação canabinoide de receptores ativados por proliferadores de peroxissoma: potencial para modulação da doença inflamatória - CBfarma

Ativação canabinoide de receptores ativados por proliferadores de peroxissoma: potencial para modulação da doença inflamatória

Os canabinoides atuam por meio de receptores acoplados à proteína G da superfície celular (CB1 e CB2) e do receptor de canal iônico TRPV1. Surgiram agora evidências sugerindo que um alvo adicional é a família de receptores nucleares ativados por proliferadores de peroxissoma (PPAR). Existem três subtipos de PPAR α, δ (também conhecido como β) e γ, que regulam a diferenciação celular, o metabolismo e a função imunológica. Os principais endocanabinoides, anandamida e 2-araquidonoilglicerol, e o ácido ajulêmico, um análogo estrutural do fitocanabinoide Δ9-tetrahidrocanabinol (THC), possuem propriedades anti-inflamatórias mediadas pelo PPARγ. Outros canabinoides que ativam o PPARγ incluem N-araquidonoil-dopamina, THC, canabidiol, HU210, WIN55212-2 e CP55940. As aciletanolaminas endógenas, oleoiletanolamida e palmitoiletanolamida regulam a alimentação e o peso corporal, estimulam a utilização de gordura e têm efeitos neuroprotetores mediados pelo PPARα. Outros endocanabinóides que ativam o PPARα incluem anandamida, virodhamina e éter de noladina. Há, ainda, pouca evidência direta de interações de canabinoides com PPARδ. Há uma convergência de efeitos dos canabinoides, atuando através da superfície celular e dos receptores nucleares, na função das células imunes, o que é promissor para a terapia direcionada de uma variedade de doenças imunes, particularmente neuroinflamatórias.

Faça o upload da sua documentação

Indique o seu médico

Faça o upload da sua documentação